domingo, março 16, 2008

Não me considero um bota de elástico mas estou francamente de acordo com a proibição dos piercings na língua

Não me considero minimamente um bota de elástico embora seja crítico em relação a determinado tipo de modas. Farto-me de rir quando por exemplo vejo um cidadão da minha idade com um enorme cabelo e de rabo de cavalo, tal qual me causa a mesma reacção ver outros também com o cabelo todo grisalho e piercings nas orelhas ou no nariz. Lembro-me logo dos meus tempos em África onde conheci várias tribos algumas das quais e ainda no meu tempo praticavam antropofagia e que usavam os ossos das suas vítimas na ornamentação das suas narinas e das suas orelhas. Claro que não pretendo com a comparação ofender os adeptos do uso dos piercings, embora não encontre nenhuma razão para o seu uso na medida em que tão pouco sequer esse tipo de ornamento serve para conferir aos seus utilizadores nenhum factor de melhoria do seu embelezamento bem pelo contrário. E a internet proporciona-nos conhecer as mais variadas zonas do corpo que os amantes do uso de piercing escolhem para os implantar desde aquelas que estão expostas à nossa vista até às zonas mais sensíveis e íntimas das mulheres e homens. Se é certo que cada um tem o direito de fazer o que muito bem entenda com o seu corpo, só falta qualquer dia, agora que também já começa a ser usual vermos rapazes e raparigas com trancinhas habitualmente usadas pelas africanas o que lhes faz aumentar o seu "ego" assistirmos também ao aparecimento de amantes de outros tipos de modelos simbolizantes de tribos africanas como por exemplo vários desenhos na cara feitos com cortes subcutâneos semelhantes aos usados pela tribo dos Kiocos, também é certo que compete às autoridades sanitárias travarem opções que do seu ponto de vista poderão por em risco a saúde pública.
Sim porque a liberdade não tem necessariamente que se traduzir em libertinagem.

3 comentários:

soupe populaire disse...

Não esta mal a palestra...

http://fala-barato.blogspot.com/

Å®t Øf £övë disse...

Raul,
Eu pessoalmente detesto tatuagens, e piercings gosto apenas em algumas partes do corpo (muito poucas), mas isso não quer dizer que concorde com esta proibição. Aliás, do meu ponto de vista não é uma lei necessária, nem útil. O que me parece é que este governo está a viver um ataque súbito da proibição. A única coisa que sabem fazer é proibir tudo e mais alguma coisa!!!
Abraço.

Pedro disse...

É tudo uma questão de Educação. Se se investir seriamente nesta área, escusamos de estar com proibições inócuas que apenas servem para encher os bolsos dos que apostam na ilegalidade e clandestinidade...