sábado, novembro 08, 2008

A crise chegou ao sector automóvel mais rápido do que se previa

Do imobiliário para o sector automóvel foi num instante que a crise o atingiu e começou logo pelos chamados gigantes da industria automóvel norte-americana. É certo que seria previsível isto acontecer na medida em que aumentando exponencialmente o número de desempregados em todo o Mundo e no caso daqueles que ainda conseguem manter o seu posto de trabalho, diminuído o seu poder de compra inevitavelmente o sector automóvel também seria afectado pela crise. Mas do meu ponto de vista insisto que o valor dos carros vão, tal como o das casas ter de baixar porque não se justifica o seu custo. Isto é se os fabricantes de automóveis que conseguirem sobreviver à crise, ou seja não colapsorem, vão ter de diminuir o preço dos automóveis que produzem porquanto contrariamente ao que muita gente pensa, os salários a partir de agora vão ter uma menor valorização porque existe o argumento de crise e para se sair dela terão de ser os trabalhadores a suportarem as consequências.

1 comentário:

AP disse...

Muito bem visto, subscrevo inteiramente.
Aqui está um tema muito pertinente e que ninguém fala.
É urgente o sector automóvel rever o seu modelo de negócio, que há já muitos anos vários especialistas têm vindo a avisar do seu esgotamento. Eu diria mesmo para o fim da especulação neste sector! Principalmente os fabricantes europeus, porque os japoneses há muito que estão num campeonato à parte, no que toca à fiabilidade dos seus produtos. Aliás como em tudo o que é Japonês.