quarta-feira, julho 09, 2008

É impossível que passe pela cabeça dos eleitores votantes que se derem a vitória nas próximas legislativas ao PSD liderado por MFL ficam melhor

O facto das sondagens darem uma subida pouco significativa aos partidos de esquerda PCP e BE, não corresponderá ao sentimento generalizado do eleitorado votante de que qualquer uma destas forças políticas poderá chegar nas próximas eleições legislativas ao poder, quer isolado quer coligados.
Por isso vamos voltar a assistir à disputa do poder entre o PS e o PSD como de resto sempre tem acontecido em eleições legislativas realizadas em anos anteriores. Também já toda o eleitorado percebeu que em termos de governação José Sócrates ocupou os espaço do PSD porque inclusivamente tomou medidas que estariam nas intenções dos vários dirigentes e governantes do PSD só que nunca tiveram coragem política para as implementarem com medo das consequências.
E obviamente que tendo o PS tomado medidas muito impopulares que gerarem um conflito laboral latente o qual irá penalizar nas próximas legislativas, não impedem essas pessoas que se sentiram lesadas nos seus direitos de repensarem na sua escolha à boca da urna. Não tenho qualquer dúvida que muitos haverá que numa atitude de vingança contra o partido do poder votarão num partido da esquerda, mas daí votarem no PSD, julgo que nem por hipótese tal acontecerá. Pela razão muito simples de que a sua actual líder já fui Ministra da Educação e
no último governo de coligação PSD/CDS, Ministra das Finanças, tendo sido uma verdadeira negação o que aliás ficou comprovado. Ora os eleitores embora enraivecidos com Sócrates não cometerão o erro de lhe confiar a governação do seu País sabendo à partida que a mesma poderá traduzir um desastre com consequências graves para eles próprios. Basta para isso atentarmos que Manuel Ferreira Leite e nisso foi clara, não apoiará iniciativas de esquerda que visem conceder mais direitos aos homossexuais. É sua intenção também se formar governo acabar com o SNS para todos, o que ninguém acredite que quem vai sair prejudicado com isso serão as pessoas mais abastadas. Para além disso vai, porque também foi sempre uma intenção do PSD, privatizar o pouco que resta de empresas públicas, nomeadamente a CGD, RTP, etc.etc.
O eleitorado descontente com a governação sabe ou julgo dever saber que os próximos meses e até porque o objectivo do défice está praticamente atingido, vão significar para os portugueses medidas que aliás já estão anunciadas para os aliviar dalguma carga fiscal embora elas não irão contribuir para o seu desafogo económico. Daí achar que os ideólogos do PSD estão muito longe de conseguir os seus objectivos porque não vão encontrar no eleitorado flutuante a resposta que tanto anseiam nas próximas legislativas, porque não está interessado em ver a sua vida ainda mais dificultada pelas medidas que Manuel Ferreira Leite como 1ª. Ministra poderia adoptar.

3 comentários:

Bernardo Kolbl disse...

Também...pouca diferença fará? Oder?
Vim deixar um abraço.
Com o novo blogue é uma complicação fazer visitas.

Pedro disse...

O meu caro amigo defende que não se deve votar no PSD por três razões principais:
1. o PSD não apoiará iniciativas de esquerda que visem conceder mais direitos aos homossexuais;
2. o PSD irá acabar com o SNS para todos;
3. o PSD irá privatizar o pouco que resta de empresas públicas, nomeadamente a CGD, RTP, etc.etc.
Pois bem, permita-me contrariá-lo. 1. O PSD não pretende fazer de conta que um casal de homossexuais é igual a uma família com pai e mãe. Daí que conceder a hipótese de adopção a dois homens que formam um casal seja efectivamente defender a família, tal e qual como a conhecemos: pai, mãe e filhos.
2. O PSD não irá acabar com o SNS, apenas pretende que os mais privilegiados paguem taxas moderadores mais elevadas do que os que têm mais dificuldades. Daí a acabar com o SNS é um disparate. Santana Lopes tentou fazer isso, mas Sampaio não deixou.
3. O PSD não irá ser diferente do PS em termos de privatizações. Aliás, neste particular quem mudou de rumo foi o PS, visto que tem sido um grande amigo dos grandes grupos económicos ávidos por mais privatizações...
Sejamos coerentes na argumentações. Abraço

AP disse...

Também discordo.
Recorde-se quem nomeou o melhor director da Direcção Geral de Impostos que Portugal conheceu e que permitiu ao Sr. dos Santos fazer um brilharete com a cobrança de impostos? Pois foi, a Sra. Manuela Ferreira Leite enquanto Ministra das Finanças!
E não será contra-natura um casal de homosexuais ter filhos?! Então e no SNS quem ganha 5000 paga o mesmo que quem ganha 500?!
E já agora que partido esteve mais anos no poder em Portugal???
O cinto agora está mais leve que no tempo da MFL enquanto Ministra das Finanças?! E a educação está melhor!? Faça-se uma comparação e creio que é fácil ver quem sai a ganhar!
Haja bom senso!