quarta-feira, julho 16, 2008

Os arautos da desgraça aí estão em força

Não é novidade para ninguém que situação económica nacional e internacional não é nada famosa.
A principal causa da crise internacional tem sobretudo a ver com a situação da desvalorização galopante do dólar face ao euro, um dos elementos que influencia para além obviamente da especulação existente, o contínuo aumento do preço dos combustíveis que por sua vez se reflecte e sobremaneira nos custos de produção. Outra das causas que levou à crise dos EUA a qual se tem reflectido no resto do Mundo foi a injustificada invasão e ocupação ilegal do Iraque cujos custos diários são astronómicos e contribuem e de que maneira para essa mesma crise. O responsável por isso é George Bush que terminará o seu 2º. mandato próximo do final do ano, sendo provavelmente face aos indicadores de voto, substituído por Barack Obama. Este candidato ao cargo de presidente dos EUA, já o havia afirmado e tem-no repetido se ocupar o lugar na Casa Branca manda regressar todas as tropas americanas que se encontram a ocupar o Iraque, evitando com isso que o orçamento americano continue a suportar enormes custos com esta aventura de Bush que contribuiu fortemente para desestabilizar a sua situação económica. Afirmam os arautos da desgraça que se este ano a situação por nós vivida internamente não tem sido famosa, o novo ano que se aproxima poderá ser ainda pior, tentando assim criar o pânico nas pessoas. Ora se a situação económica dos EUA começar a melhorar e isso pode acontecer logo a partir do momento em que as tropas regressem ao País e os militares forem desmobilizados e por reflexo disso o dólar começar a valorizar face ao euro, os restantes países tenderão igualmente a melhorar a sua situação económica, isto por arrastamento. É provável que no próximo ano ainda não consigamos sentir os reflexos da sensível melhoria da situação económica interna, estimulada pela melhoria da situação internacional, mas não é possível imaginar-se que toda esta crise nacional e internacional se mantenha indefinidamente porquanto tal não é sustentável nem suportável pelos cidadãos deste País.

2 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Raul,
Tens razão em tudo o que dizes, mas para mim o mais incrivel de tudo isto é como o mundo inteiro se deixou chegar a um ponto em que tudo o que se passa nos Estados Unidos tenha reflexos evidentes.
Abraço.

AP disse...

Estão em força porque há interesses em que assim continue. A motor da economia americana sempre foi a guerra, mas creio que desta vez lhes saiu o tiro pela culatra e por isso a situação ficou descontrolada. Vamos torcer por Obama!

PS: gostei do blogue!