sexta-feira, fevereiro 09, 2007

O catering ou seja a comida pré-cozinhada, entrou de algum tempo a esta parte nos hábitos alimentares da nossa população

É sobretudo nos casais jovens que facilmente constatamos quando vamos às compras, nos seus carrinhos do supermercado várias embalagens de produtos alimentares pré-cozinhados. Não é por acaso que existe um número significativo de pessoas com problemas no aparelho digestivo relativamente jovens, exactamente porque optam por uma alimentação absolutamente errada do ponto de vista da sua qualidade. É sabido que o Catering facilita sobremaneira a vida da mulher que resolve optar por ele para não ter de perder muito tempo na cozinha a confeccionar uma refeição o que normalmente o homem não se propõe fazer. E claro está os croquetes, filetes, pastéis de bacalhau, batatas fritas, etc., quando pré-cozinhados, ninguém sabe em que óleos foram pré-confeccionados e quais as condições de higiene e posterior conservação. Ninguém tem dúvidas que uma alimentação descuidada quer do ponto de vista qualidade quer da quantidade, pode ser causadora de várias enfermidades e não é por acaso que em Portugal o número de pessoas com colesterol e hepatite é significativo. Mas o que me motivou escrever este post prende-se com a notícia acabada de ouvir numa televisão em que os fiscais da ASAE, numa operação stop levada a efeito hoje tinham apreendido todos os alimentos de Catering que eram transportados numa carrinha e se destinavam a um hospital da margem sul. Fiquei estupefacto. Como é possível uma administração hospitalar permitir que se forneça alimentação deste tipo a doentes que se encontram internados para ser tratados das suas enfermidades. E depois muita gente se admira haverem pessoas que saem do hospital mais doentes do que para lá foram porque acabam por contrair doenças de que antes não padeciam.

1 comentário:

Emiele disse...

Olha amigo eu já sou velhota, e se calharé um modo de ver as coisas que «está ultrapassado». Mas tenho discutido com muitas amigas minhas porque considero que não é apenas a dita falta de tempo é uma questão de mentalidade. Uma pessoa pode ao cozinhar, em vez de fazer uma dose para um jantar, fazer um tacho com 4 doses. Come uma e congela as outras 3. Se fizer isso com 3 ou 4 pratos, tem refeições diferentes para a semana toda. Afinal, quando a compra congelada não a descongela depois, no micro-ondas? É o mesmo. Tira o tupperware do congelador e aquece-o como se fosse uma embalagem das outras...
É que aquilo que eu faço, sei o que é que leva, mas o que compro já feito...
:(