quarta-feira, julho 04, 2007

Se o arrependimento matasse estávamos agora a assistir a um morticínio nunca visto

Tenho ultimamente conversado com pessoas conhecidas e até amigas que votaram na maioria PS e na altura me criticaram por ter mudado o meu sentido de voto porque tal como os avisei o actual secretário-geral não me inspirava confiança política. E fui sem dúvida nenhuma muito criticado chegando mesmo a ser intitulado de vira-casacas.
Na altura referi-lhes que, após saber do resultado eleitoral, a maioria parlamentar proporciona uma espécie de ditadura no tocante às leis ali aprovadas. É vê-los agora numa expressão de
arrependimento afirmarem que maioria absoluta jamais a proporcionarão e não será com o seu voto que o actual 1º. Ministro será reconduzido nas próximas legislativas. Chegou agora a minha vez de os responsabilizar não tanto pela escolha política mas pelo facto de ter sido concedido ao PS a maioria absoluta a qual até ao final do mandato ainda criará mais descontentes e arrependidos

e estes sem a mínima possibilidade de lá os tirarem antes que este termine.

5 comentários:

Me Hate disse...

Contradições: se houver um esforço racional/lógico/independente de avaliação deste governo, não o posso criticar porque de facto há uma quantidade inacreditável e muitas vezes, inarrável de disparates cometidos nos anteriores governos (PSD) e que só hoje é que estamos a sofrer as consequências...

Pena é, claro, que TODO o esforço de compensação economica deste país caiba apenas à classe média mas... a isso também nós já nos vamos habituando com cada vez menos revoluções!

PintoRibeiro disse...

Boa noite. Passei para deixar um abraço.

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Aceitam-se sugestões Raúl.
Sinceramente não vejo grande coisa...
Bom fim de semana e um abraço.

PintoRibeiro disse...

Bom fim de semana e um abraço.

Carmem L Vilanova disse...

Passando uma vez mais para desejar-te um lindo fim de semana, para agradecer-te tuas visitas sempre tao bem-vindas e queridas, e para deixar os usuais beijos, flores e muitos sorrisos... :o)