terça-feira, julho 31, 2007

Neste País em que a agricultura tradicional está praticamente posta de parte é natural que não se fale noutra coisa a não ser em Charrua

Muito francamente o que é demais farta para não dizer cheira mal. A responsável pela DREN querendo mostrar a sua fidelidade política ao partido do Governo, não gostando do que ouviu ao professor Charrua, resolveu instaurar-lhe um processo disciplinar. A comunicação social ao serviço de alguns militantes do PSD, dado que o visado já havia sido deputado deste partido resolveu empolar o tema e andamos a ouvir falar em Charrua já há vários meses quando se sabe que este tipo de alfaia agricultura já há muito que foi praticamente abandonada pelos agricultores tradicionais que utilizando-a atrelada a uma besta ou na sua inexistência a um bovino, lavravam a terra para semear cereal, batatas, cebolas, etc.. Hoje poucos são os agricultores tradicionais que utilizam este recurso, até porque se desfizeram das bestas (quadrúpedes) e com a evolução alguns mais persistentes adquiram tractores com os quais vão trabalhando as suas terras. Mas as bestas evoluiram e hoje já dificilmente vemos quadrúpedes mas sim, muitos, mas mesmo muitos, bípedes. E são algumas delas as quais não é possível atrelar charruas nem qualquer outro tipo de alfaia, que no seu posto de trabalho usando a caneta ou simplesmente a sua nem sempre agradável dicção, vão-nos brindando com as suas abalizadas opiniões que não nos deixam dúvidas quanto aos seus firmes propósitos. É facto que a Ministra da Educação encontrou esta saída aparentemente airosa para acabar com tanta atoarda, a qual se baseava na palavra dum contra outro e aconselhava o bom senso não prosseguir com isto. Mas a Comunicação Social não contente com este desfecho do arquivamento do processo quer transformar uma alfaia já em desuso num monumento nacional. Concordo inteiramente que na rotunda do relógio se implante uma charrua como símbolo da nossa agricultura de subsistência, para que as gerações vindouras fiquem a saber que os seus avós e bisavós foram criados com as batatas, cebolas, etc., graças a esta tão importante alfaia agrícola que era atrelada às bestas para lavrar a terra.

5 comentários:

augustoM disse...

Também não fazes por menos, logo um livro! O que tenho em mente é falar da história dos EU, não num todo continuado, mas ir focando, aleatoriamente, diversos períodos, que penso, não serão tão bem conhecidos.
Um abraço. Augusto

PintoRibeiro disse...

Uma coisa não invalida a outra...acho.
Abraço,

Me Hate disse...

Estou a ver pelo menos 4 ou 5 politicos a quem a charrua nos ombros não ia nada mal de tão asnos que são!!!!!!!!!!!! ;)

Emiele disse...

Estou inteiramente de acordo.
Achei muito interessante crónica do João Miguel Tavares no DN
É mesmo o que eu penso!

http://www.dn.sapo.pt/2007/07/31/opiniao/fernando_charrua_mentiu_e_parece_nin.html

Emiele disse...

Parece que o link não entrou. Está
AQUI