sexta-feira, maio 25, 2007

Explicações aconteceram mas não convenceram

O Ministro das Obras Públicas esteve hoje no telejornal a tentar justificar o injustificável. Obviamente e como sempre o José Rodrigues dos Santos não esteve à altura de o embaraçar com as suas perguntas, porque normalmente se empolga demasiado e nem o franzir do seu sobrolho como se estivesse-mos perante um interrogatório feito por um qualquer agente policial serve para intimidar o seu interlocutor, como aliás foi o que aconteceu. Mas Mário Lino não foi convincente nas suas explicações e o tipo de argumento já é conhecido. Não necessitamos aliás de recuar muito no tempo para nos lembrar-mos dos dislates dos ministros do PSD que integraram o governo de coligação anterior os quais envergonharam de tal maneira o José Manuel que não lhe restou outra alternativa que não fosse a de os substituir. E a desculpa também era esta. As suas palavras eram mal interpretadas, logo incompreendidos. Mas tudo indica que nada disso irá agora acontecer pois não bastam as argoladas de Mário Lino nem de Manuel Pinho, para o 1º. Ministro se resolver substitui-los, por indecência e má figura. É que tornaram-se tão ridículos que a sua manutenção só contribuirá para a descredibilização do governo.

1 comentário:

Rui disse...

O inexplicavel não tem explicação.
Realmente esta nova mania de apelar à má interpretação como modo de desculpar o indesculpavél já se tornou um hábito em alguma da nossa classe politica. Em outros casos o que se tem feito é ignorar os acontecimentos, como se fechando os olhos eles deixassem de existir.
Um abraço.