domingo, agosto 24, 2008

Brilhante a ideia do sindicato da PSP para combater a criminalidade. O Estado pagar serviço extraordinário aos agentes

É notório que todos quantos se queixam de falta de segurança referem que nas áreas das suas residências não costumam ver agentes da autoridades, nem de dia e muito menos há noite. Os governantes afirmam que não é por falta de efectivos porque eles são suficientes. Os representantes sindicais contestam a afirmação do governo afirmando serem necessários mais agentes para uma melhor cobertura da segurança dos cidadãos, reivindicação que não conseguem ver satisfeita. A última vaga de assaltos envolvendo furtos de grande monta levaram os sindicatos da PSP a propor que, para garantir melhor segurança das pessoas e bens, sejam pagas horas extraordinárias, situação que sempre se praticou em toda a função pública onde se gastam verbas astronómicas e se criam vícios nos próprios agentes que em vez de produzirem nas horas normais de serviço fazem com que o expediente se atrase o que nem sequer é difícil consegui-lo, com a intenção de conseguirem que o departamento onde trabalham proponha que seja feitas horas extraordinárias, procedimento que não é muito habitual no sector privado que cada vez mais e sempre que é necessário trabalho extraordinário, compensam os seus colaboradores com a sua dispensa de dias de trabalho. Parece-me pois muito mais inteligente e sobretudo menos oneroso para o Estado ao invés de pagar horas extraordinárias aos seus colaboradores sempre que se justifica sejam as mesmas feitas, dispensarem-nos por dias ou horas de trabalho. E no caso concreto de alguns serviços do Estado, tal como Hospitais, se justificaria mais o recrutamento de técnicos de saúde do que andar a pagar sazonalmente a empresas que os fornecem a custos elevadíssimos. Como é que se pode conseguir equilíbrio das contas públicas se os respectivos Ministérios não sabem gerir os seus recursos, nem humanos nem financeiros.

3 comentários:

AP disse...

Excelente post! Diz tudo.
Também concordo que não é necessário fazer horas extras, desde que os recursos sejam bem geridos.
E não foi este sindicado que algum tempo atrás reclamou o facto dos agentes que fazem serviço extra não são compensados?

PintoRibeiro disse...

Também posso? Eheheheh...
Abraço,

MFerrer disse...

O que eles querem todos, polícias, magistrados, médicos e enfermeiros, é comer mais uma fatia do bolo do OE e os contribuintes que paguem mais e mais impostos!
Querem mais Estado nos seus serviços e menos Estado no resto todo. Como tal não é possível...
a resposta já está dada. Ficamos é a saber a quem serve a insegurança e quem a apláude!
MFerrer