sábado, junho 17, 2006














Cientistas
estão implementando uma rede de sensores na Grande
Barreira
de Corais da Austrália para monitorar e tentar impedir
a degradação do sistema.

Os sensores “inteligentes” foram originalmente
desenvolvidos para o uso em usinas nucleares.

O actual projecto, tocado pelo Instituto Australiano de
Ciência Marinha (Aims, na sigla em inglês) junto com a
Universidade James CooK, tem como objectivo observar
eventuais problemas antes que eles destruam os corais.

Os sensores podem se comunicar entre si e monitorar
alterações como a perda de cor dos corais. Salinidade,
temperatura e nível de nutrientes na água também serão
medidos.

Acção

"Um dos problemas é nossa tendência (dos cientistas) de
monitorar as coisas após elas terem acontecido, vendo
portanto mais os efeitos do que as causas", diz Scott
Bainbridge, coordenador de tecnologia e dados do Aims.

"Um bom exemplo disso é o desbotamento dos corais",
disse ele.

"Quando a temperatura aumenta, vemos os corais se
tornando brancos e começamos então a fazer medições
quando não há mais nada a se fazer."

"O que precisamos é monitoramento constante desses
sistemas."

A intenção final é que o monitoramento ajude na
preservação dos corais.

da BBC Brasil

Pelo menos que se tente preservar o pouco que
resta da destruição oceânica de que têm sido
alvo os corais

1 comentário:

Daniela Mann disse...

Já se sabe que "depois de casa arrombada é que se pôem trancas à porta"!
Abraços e obrigada pela visita!