quarta-feira, abril 11, 2007

Pelos vistos a explicação dada pelo 1º. ministro não convenceu, Marques Mendes nem Pacheco Pereira

Pelo que a questão não se esgotou. No dia a dia dos nossos contactos verificamos no universo das mais diversas licenciaturas, independentemente de possuírem ordens ou não que reconheçam os seus detentores, são tratados indiscriminadamente por drs. Aliás grande parte deles têm o cuidado na primeira abertura de conta bancária a sublinharem esse título de forma a que ridiculamente o mesmo conste dos respectivos cheques da conta de que são titulares. Nunca ninguém lhes põem em causa se esse título académico foi legitimamente obtido numa universidade pública ou privada, através de qualquer favorecimento ou se por mérito próprio. Compreende-se que tal não deva ser posto em causa por não se tratar duma figura pública com responsabilidade política, embora tal não invalide a sua incompetência profissional e isso por vezes constata-se com alguma frequência, mas ninguém impede que a pessoa em causa continue a exercer as suas funções pese embora a sua qualificação esteja longe de ser satisfatória, embora conferida pelo seu grau académico. Estamos perante uma falsa questão no empolamento do uso indevido do título por parte do 1º. ministro sobretudo quando os próprios contestatários são de opinião não ser condição necessária para o seu exercício possuir um título académico.
Ora se entendem por um lado que para se ser 1º. ministro não é necessário possuir um título académico o porquê de tanta questão pelo facto de ter o mesmo sido usado indevidamente?

5 comentários:

Blueshell disse...

Não estou bem. Me desculpa. Deixo um beijo...recorda-o...um dia!
BShell

A Sonhadora disse...

Olá boa tarde.Obrigada pela visita e no próximo sábado, lá nos encontraremos....espero...
Achei giro...também sou gémeos....e rato....kekekeke...
Um abraço da sonhadora

Carmem L Vilanova disse...

Amigo Raul,

Estou passando para deixar-te flores, beijos e muitos sorrisos!

Estive meio ausente nas últimas semanas mas cá já estou de volta as minhas atividades normais...

Um lindo fim de semana que já se aproxima!

Carlos Alberto disse...

Caro,
mando-lhe uma prosa que foi por algres escrita na blogoesfera.

"reacção de luís marques mendes à entrevista de josé sócrates (via público.pt):

« [...] utilizar um título que não se tem, fazer passar-se por aquilo que não se é revela uma falha de carácter, mina a credibilidade e afecta a sua autoridade [...] »

da biografia de luís marques mendes (via site do psd):

« [...] FORMAÇÃO ACADÉMICA
-Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra [...] »

mas não se costuma o mesmo apresentar como "doutor marques mendes", não sendo médico nem possuindo qualquer doutoramento? alguém alguma vez o ouviu corrigir para "senhor-licenciado-em-direito marques mendes"? em que ficamos?"

Seu

Emiele disse...

Esta história felizmente já está morrendo, que nunca teve ponta por onde se lhe pegasse. Só vai revelando a saloiice da nossa terra. Como disse ali o Carlos Alberto se fossemos nessa do rigor do bacharel, licenciado, doutor, 90% dos doutores teriam de ser chamados por licemciados - que trapalhada!!!
É enervante porque afinal dá ideia que quem anda a levantar este pó todo não quer é discutir outras coisas essas sim, importantes e graves.