domingo, dezembro 18, 2005

O nosso príncipe da televisão está a oferecer aos seus
colaboradores um espectáculo de circo

E o Herman José numa atitude semelhante ao de
qualquer lambe botas duma repartição pública e porque
não, também sempre os houve, dum qualquer trabalhador
duma empresa privada, destacando a presença de Pinto
Balsemão enalteceu a obra feita, elogiando a sua gestão
empresarial.
Não sei se a mesma é merecedora de tais elogios
porquanto ao que consta a SIC está a atravessar uma
situação deficitária que até pode ser preocupante. Mas
não é dessa possível situação com a qual nada tenho a
ver que pretendo escrever. Como nos lembramos foi na
gestão de Cavaco Silva como 1º. Ministro que, a televisão
foi proporcionada aos operadores privados e Pinto
Balsemão foi, tal como inicialmente a igreja católica,
através duns fiéis papalvos que investiram as suas
poupanças em acções da TVI, e que posteriormente as
viram completamente desvalorizadas com a passagem
breve do engº. Belmiro de Azevedo pela sua gestão,
quem criou o 3º. e o 4º. canal de televisão. A expectativa
criada foi enorme, mas como estes novos operadores
apenas se preocuparam com a sustentabilidade financeira
optaram por incluir nas suas grelhas de programação,
tendo em vista o ranking de audiências, programas que
em vez de contribuírem para instruir e educar os seus
telespectadores, mas não tem feito do que estupidificá-los.
Considerar relevante este trabalho de gestão empresarial
é no mínimo ofender aqueles que discordando frontalmente
com o Herman José, consideram que a concessão de
licenças de televisão aos operadores privados não trouxe
qualquer vantagem para os telespectadores.

1 comentário:

martelo disse...

Acabamos o ano a malhar forte e feio! E a gajada em 2006 cá estará a moer os miolos aos papalvos...
Um Bom natal e um 2006 com saúde
hammer