sexta-feira, julho 07, 2006


Um painel de especialistas
ouvidos pela BBC concluiu
que as mudanças climáticas
pelas quais passam o
planeta são "reais e graves".



A média de temperatura do planeta deve subir entre 3ºC e
5ºC até o final deste século. Segundo os especialistas, o
impacto no meio ambiente deve ser "grave", porém não
"catastrófico".

O painel de especialistas também concluiu que políticos
provavelmente não conseguirão implementar as reduções
de emissões em uma taxa suficiente para impedir as
conseqüências mais graves do aquecimento global.

As discussões do painel foram baseadas nos temas
explorados pelo livro A vingança de Gaia, do professor
James Lovelock.

O livro argumenta que a sociedade, com suas emissões de
gás carbônico e outras formas de degradação ambiental,
está conduzindo a natureza para uma crise.

De acordo com Lovelock, as temperaturas vão aumentar,
as fontes de água pura serão contaminadas, a vida marinha
estará ameaçada, a produção alimentícia cairá, e haverá
uma massa de imigrações para as áreas do planeta ainda
habitáveis.

O atual domínio dos combustíveis fósseis deve dar lugar a
uma presença maior de fontes nucleares, se os níveis de
consumo de energia elétrica continuarem crescendo e se
as emissões de dióxido de carbono forem reduzidas.

Previsões pessimistas

O livro A vingança de Gaia causou polêmica no meio
científico, por pintar um quadro muito pessimista da
degradação ambiental. Na segunda e na terça-feira, a
BBC reuniu diversos especialistas para discutirem
algumas das previsões do livro de Lovelock.

Foi consenso entre os especialistas que Lovelock
exagerou na gravidade de algumas previsões. Mas
nenhum dado do livro foi considerado cientificamente
impossível. O aumento da temperatura global de até
5ºC durante neste século, por exemplo, já foi projetado
por um órgão intergovernamental de mudanças climáticas.

"O fato de o professor ter usado as previsões mais
pessimistas no seu livro não invalida o seu trabalho, mesmo
que essas previsões tenham apenas 5% ou até mesmo 1%
de chance de serem reais", afirma o diretor da British
Antarctic Survey, Chris Rapley.

"Você andaria em um avião, se o piloto dissesse que há
uma probabilidade de 5% ou de 1% de esse avião não
chegar ao seu destino? Claro que não. É preciso levar a
sério até mesmo as possibilidades mais remotas", disse.

Os especialistas reconheceram que alguns campos da
ciência que estudam as mudanças climáticas, como o
impacto das emissões de gases no oceano e nas florestas,
ainda continuam muito imprecisos.

Hans von Storch, do Instituto de Pesquisas Litorâneas de
Geesthacht, na Alemanha, disse que é preciso evitar o
anúncio público de informações baseadas em ciência
inconclusa.

Há alguns anos, alguns modelos de computador previam
aumento no número de tempestades. Esse aumento foi
descartado em simulações posteriores mais sofisticadas.

Questão nuclear

As previsões de A vingança de Gaia sobre a questão
nuclear foram desafiadas pelos especialistas. Eles
chegaram ao consenso de que as alternativas nucleares
de energia de fato merecem uma "discussão pública e
política", mas não são "o único remédio disponível hoje”.

Os especialistas também discutiram o tipo de impacto
que os diagnósticos do professor Lovelock terão na
sociedade.

"Espero que a reação não seja a que eu prevejo, de que
o cenário é muito sombrio, e que devemos jogar tudo
para o alto, e aproveitar ao máximo o que nos resta, ou
cometer suicídio", afirmou o diretor da Universidade
de Reading, Brian Hoskins.

"Eu tenho confiança na tecnologia. Tenho muito menos
confiança que teremos a vontade política e social para
tomar as decisões duras que teremos pela frente",
afirma o ex-diretor da Shell, Rox Oxburgh.

"O futuro não é inevitável, mas temos de trabalhar duro
para evitar os cenários previstos."

da BBC Brasil

Quando os políticos resolverem acordar para
esta grave realidade, já será muito tarde.
É evidente que daqui a um século eles já cá não
estarão mas estão os seus descendentes.

1 comentário:

zecadanau disse...

O Apocalipse aí está, devido à estupidez e ganância humana.

Um @bração do
Zeca da Nau