segunda-feira, julho 03, 2006


Uma em cada três pessoas
sofre de paranóia ou suspeita
excessiva na Grã-Bretanha,
segundo um estudo do
Instituto de Psiquiatria do
King's College, de Londres.


Uma equipe do instituto entrevistou 1,2 mil pessoas para
saber se elas tinham medo de ser prejudicadas por outras
pessoas e concluíram que os níveis de paranóia são muito
mais altos do que se imaginava, e quase tão altos quanto os
níveis de depressão e ansiedade.

Segundo os pesquisadores, a paranóia pode causar
problemas sérios para a qualidade de vida das pessoas que
sofrem da condição.

O estudo concluiu que 40% dos entrevistados se preocupam
regularmente com comentários negativos feitos sobre eles;
27% acreditam que outras pessoas tentam irritá-los
deliberadamente; 20% se preocupam em estar sendo
seguidos ou observados; 10% acham que alguém está
"armando" alguma coisa contra eles; e 5% se preocupam
que haja uma conspiração para prejudicá-los.

Problema comum

"Estamos impressionados com o quão comum são os
sentimentos de paranóia e suspeita entre a população",
disse o pesquisador Daniel Freeman.

"Compreensivamente, há certas instâncias em que é
importante ter cautela, como na hora de sacar dinheiro
de um caixa eletrônico sem chamar atenção, ou ao andar
em uma rua mal iluminada à noite."

"Depois dos atentados em Londres, no ano passado, é
natural que os passageiros do metrô estejam mais
vigilantes do que antes."

"Mas nossa pesquisa mostra que pode haver uma tendência
a exagerar nossos medos", disse Freeman

"Nosso estudo mostra quantos de nós nos preocupamos -
provavelmente desnecessariamente - sobre algo que pode
não acontecer, em vez de nos concentrarmos na parte mais
divertida e produtiva de nossas vidas."

da BBC Brasil

À relativamente pouco tempo publiquei um post
onde referi que não nutro qualquer simpatia pelos
ingleses por achar que são demasiado presunçosos.
Pois bem agora fico a saber que além disso também
são paranóicos.

1 comentário:

zecadanau disse...

E a culpa é de quem? Todos sabemos quem são os estrategas da coisa e quais os objectivos.

Um @bração do
Zeca da Nau