quarta-feira, agosto 16, 2006

Mobilização de tropas no Líbano é lenta; equipe resgata 40 corpos




No terceiro dia do cessar-fogo entre o Exército de Israel e o grupo terrorista libanês Hizbollah, os serviços de resgate começam a retirar corpos dos escombros no sul do Líbano, enquanto as partes envolvidas no processo de paz tentam colocar em prática o plano de mobilização de uma força internacional na região.

Nesta quarta-feira, 42 corpos foram encontrados nos povoados libaneses onde já chegaram os serviços de resgate ao sul do rio Litani (a cerca de 30 quilômetros da fronteira israelense), informaram nesta quarta-feira fontes policiais.

A ONU (Organização das Nações Unidas) pediu reforços militares, pois a trégua estaria em risco se não chegarem os 15 mil soldados determinados pela resolução 1.701, que instaurou o cessar-fogo. Nenhum país assumiu um compromisso firme de enviar tropas até agora. O primeiro anúncio sobre as novas tropas deve ser feito só amamhã.

O último balanço oficial libanês, antes do fim dos combates, na manhã de segunda-feira (14), falava de mais de mil civis mortos. O número não incluía as pessoas soterradas sob os escombros ou cujos corpos estavam em locais ignorados. No total, o conflito de 34 dias deixou mais de 1.200 mortos (mais de mil libaneses e uma média de 200 israelenses), 1 milhão de deslocados e bilhões de dólares em prejuízos.

As pessoas que conseguiram chegar a povoados como Aita al Shab, próximo ao local do seqüestro de dois soldados israelenses que desencadeou o conflito, no dia 12 de julho, descrevem uma paisagem desoladora, de terra arrasada. As operações de busca não começaram ainda nas aldeias junto à fronteira que não foram abandonadas por Israel, e que sofreram intensos bombardeios nos últimos dias.

Corpos

No povoado de Ainata foram encontrados 17 corpos. Na cidade de Tiro, que permaneceu sitiada, um corpo apareceu num edifício de quatro andares, e outro em meio às ruínas de um centro comercial, informaram as fontes policiais.

Na mesma cidade, sob os escombros de um edifício, apareceu o corpo de uma jovem de 16 anos, segundo os serviços de proteção civil. Os grupos de resgate tentam retirar dos destroços do mesmo bloco de casas os corpos de três crianças e um adulto.

Na aldeia vizinha de Kafra, um casal foi encontrado sob os escombros. Também na região de Tiro, sete corpos foram achados na segunda-feira no centro de Srifa, que foi totalmente destruído. O prefeito da localidade disse que os depósitos de corpos estão completamente cheios.

Em Khiam, no setor leste da fronteira, o corpo do "mukhtar" (cargo equivalente ao de prefeito) foi retirado das ruínas de sua casa. Na localidade de Kafarchuba, tratores retiraram dos escombros os corpos de quatro combatentes do Hizbollah.

Força de paz




O governo dos EUA pediu nesta terça-feira à ONU que acelere os trâmites para o envio da força de paz internacional para o Líbano que terá a função de vigiar o cumprimento do cessar-fogo entre Israel e o Hizbollah.

Lefteris Pitarakis/AP

Faixa pendurada em escombro no Líbano exibe protesto anti-EUA; conflito matou mais de mil

"Ninguém considera aceitável o envio desta força em meses. Tem que ser realizado sobre uma base muito mais urgente", afirmou hoje o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Sean McCormack.

Segundo McCormack, os EUA não enviarão soldados para esta tropa, mas farão parte do "planejamento" da operação, que está sendo discutida em Nova York.

Além disso, ele recordou que a resolução 1.701 das Nações Unidas, que estabelece as condições para a interrupção das hostilidades, diz que a mobilização da força internacional deve ocorrer enquanto acontece a retirada das tropas israelenses.

A ONU espera mobilizar 3.500 soldados no sul do Líbano nos próximos dez ou quinze dias para consolidar o fim das hostilidades e para iniciar o processo de retirada israelense e o posicionamento do Exército libanês na região.

Segundo o subsecretário da organização para Operações de Manutenção da Paz, Hedi Annabi, a ONU convocou uma reunião para a próxima quinta-feira, na qual será discutida a possível composição da tropa.

A França aparece como o país que pode enviar mais soldados para a força internacional, que também deve contar com membros de Espanha, Itália e Noruega.

Fronteira

O ministro da Defesa do Líbano, Elias Murr, afirmou que 15 mil soldados libaneses devem estar do lado norte do rio Litani até o final desta semana.

Israel anunciou nesta terça-feira que seu Exército planeja retirar seus soldados do sul do Líbano em um período de sete a dez dias e deve entregar algumas de suas posições mais avançadas para tropas da ONU no prazo de 48 horas.



Segundo uma fonte parlamentar, porém, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de Israel, Dan Halutz, considerou nesta quarta-feira a possibilidade do Exército israelense permanecer vários meses no sul do Líbano, perto da fronteira

O general Halutz teria reagido desta maneira a um relatório dos serviços de inteligência militar durante uma reunião da comissão das Relações Exteriores e da Defesa do Parlamento (Knesset).

A mobilização completa da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) reforçada levará vários meses, segundo o oficial dos serviços de inteligência.

Segundo o chefe do Estado-Maior, o Exército de Israel deverá permanecer no terreno até então.


da Folha Online

Os libaneses que sobreviveram aos bombardeamentos israelitas ao regressarem às suas casas constatarão a triste realidade da sua total destruição.

1 comentário:

Ludovicus Rex disse...

uma guerra sem justificação como tantas outras.
Um abraço