sábado, novembro 10, 2007

Em solidariedade com os professores visados

Vergonhoso: professores das AEC não recebem

As Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), há quem as designe de Actividades de Empobrecimento Curricular, nasceram algo tortas e, como diz a sábia voz do povo, «aquilo que nasce torto, tarde ou mal se endireita».
Não querendo tomar a parte pelo todo, não me atrevo, para já, a juntar-me ao exército, que tem visto as suas fileiras engrossarem, daqueles que diabolizam as AEC. Apesar de não ser novidade para ninguém que me conheça que não concordo com o modelo adoptado nem com os objectivos (se é que estes existem) que estas se propões alcançar. Todavia, posso afirmar, convictamente, que este modelo contribui para o empobrecimento dos professores envolvidos no projecto.
A trabalharem desde Setembro sem receberem um cêntimo pelos seus serviços é absolutamente inaceitável. Não esqueçamos que estes profissionais trabalham a «Recibo Verde», portanto há uma boa parte do ano em que não recebem coisa alguma. Isto já é preocupante. Pensar que estas pessoas desde Julho que não auferem qualquer vencimento suscita-me algumas questões: Quem paga a renda / prestação da casa? Quem paga a alimentação? Quem paga a água, a luz, o telefone? Como é que se vive assim? Não esqueçamos que muitos têm que se deslocar em transporte próprio para a (s) escola (s) onde leccionam. Não sei se esta situação se está a passar em todo o país. Em Viseu esta é uma realidade dramática. Parece que os vencimentos estão a ser processados…estavam…estarão…Ninguém sabe ao certo.
O que sei é que há gente a vivenciar situações dramáticas. Um amigo disse-me que não sabe se o dinheiro que ainda lhe resta será suficiente para o combustível que lhe permita deslocar-se às várias escolas em que trabalha. Aqui está outra aberração: contratam imensa gente e depois atribuem apenas 12 horas a cada professor, horas distribuídas por distintos locais, obrigando a várias deslocações diárias.
Se não expusesse esta situação vergonhosa e lamentável hoje, tenho a sensação de que nem dormiria em paz. Outros há que estão, dado o adiantado da hora, tranquilamente a sonhar com a cabeça na almofada. Enquanto isso, muitos fazem das tripas o coração, encetando majestosos malabarismos, para fazerem face às necessidades básicas do quotidiano.
Que vergonha!!!

4 comentários:

GIL disse...

Parabéns pela iniciativa que é uma pedrada no charco da indiferença e do egoísmo. É levantando a voz pelo companheiro caído que construímos o nosso futuro e a nossa dignidade.
Nunca desistam!

NÓMADA disse...

Estou impressionada com a onda de solidariedade que está a nascer na blogosfera. É uma onda que dignifica e reconstrói elos de confiança e de amizade, sem os quais a vida não terá sentido.
A denúncia destes casos reveste-se da maior importância e o seu repúdio também. Porquanto, enquanto formos uma força, os poderes que pretendem espezinhar-nos não passarão.
Agora temos estes casos, mas haverá muitos outros que nós não conhecemos. E serão sempre mais se nada fizermos. Ergamo-nos pois! Por estes e por todos os outros e, essencialmente, por tudo o que eles significam.

Carreira disse...

Obrigado pelo apoio a uma causa que merece ser apoiada.
Abraço,

José Carreira

Isabel Magalhães disse...

Caro contradições;

Deixo aqui o meu abraço solidário a todos os que se encontram nessa situação, e a todos os professores tão maltratados pelo governo que desgoverna este país.

Um abraço para si tb.
I.