quarta-feira, novembro 28, 2007

Segundo a imprensa escrita de hoje o número de abortos registado em Portugal vai ficar muito aquem do inicialmente previsto

Registo esse que deveria calar definitivamente os então opositores da liberalização da interrupção voluntária da gravidez que tanto ruído fizeram antes e depois da aprovação do respectivo diploma que pôs fim à maior vergonha nacional de condenar as mulheres que, pelas mais diversas razões a maioria justificáveis recorriam ao aborto clandestino muitas delas por vezes perecendo em resultado do mesmo.

2 comentários:

filomeno2006 disse...

Todo inglés......¿Pariente de Drake es?

osbandalhos disse...

Não há vergonha nem não vergonha. Gravidez não é doença. Porque temos todos que pagar para que se façam abortos? Façam-se operações a quem precisa e não para libertar de "problemas" umas quantas idiotas que, dificilmente farão alguém acreditar, que julgavam que os bebés vinham das cegonhas.