quinta-feira, novembro 10, 2005

A cartelização de várias empresas neste País está a contribuir
para que algumas estejam a passar dificuldades face à
concorrência espanhola


O cartel da distribuição dos combustíveis com a liberalização
de preços proporcionada pelo governo de Durão Barroso, fez com
que os seus preços a par do aumento do barril de petróleo atingisse
valores incomportáveis pelas bolsas mais magras dos automobilistas
portugueses.
Dada a grande diferença de preços praticados na vizinha Espanha
são cada vez mais os portugueses que ali se deslocam quer para
abastecerem os seus automóveis quer para adquirirem garrafas de
gás.
Isto porque nesta altura a diferença de preço da gasolina sem
chumbo de 95 octanas é de vinte cêntimos sendo a da garrafa de
gás de 6 €.
Em resultado disso as nossas distribuidoras de combustíveis junto
à fronteira com Espanha estão a confrontar-se com enormes
dificuldades pelo prejuízo, na quebra abrupta das vendas.
Confesso que o conhecimento deste facto não me causa qualquer
sentimento de pena e só lamento é que outros cartéis em
Portugal, como por exemplo o da industria farmacêutica não passe
também pelas mesmas dificuldades a partir duma hipotética
possibilidade de podermos ir a Espanha adquirir igualmente
medicamentos.

3 comentários:

Pedro disse...

O problema não estará também nos impostos a que esses produtos estão sujeitos aqui em Portugal?

Marco disse...

Sim, basicamente são os impostos, com a ajuda do motivo exposto no post.

martelo disse...

o problema passa pela "guloseima" insaciável e absurda das multinacionais e pela própria Galp e não é alheio o Estado que vai sorvendo e apertando...




obrigado pela visita e apareça mais vezes.