terça-feira, novembro 15, 2005

Cientistas alemães iniciam missão no Oceano Índico.
O objetivo é a instalação de um sistema de alerta de tsunamis.
DW-WORLD acompanha a expedição via weblogs.



O navio alemão de pesquisas Sonne (Sol, em português), carregado
com material e equipamentos de laboratórios que serão utilizados
na construção de um conjunto de instrumentos que poderão prevenir
futuras catástrofes, partiu na manhã desta terça-feira (15/11), do
porto de Jacarta, na Indonésia. É o início da expedição Tsunami.

Além de montar dois sistemas experimentais TEWS (Tsunami-Early-
Warning-System), a tripulação do Sonne fará trabalhos de manutenção
de uma rede sismológica, instalada há cerca de um mês pelo
Instituto Leibniz de Ciências Marinhas da Universidade de Kiel
(IFM-GEOMAR), ao redor da ilha Simeulue.

Segundo o geofísico Ernst Flüh, do IFM-GEOMAR, a tecnologia do
TEWS baseia-se na medição das mudanças de pressão na água e no
movimento do solo oceânico, causadas por ondas sísmicas, entre
outros fatores.

"Os dados, então, são transmitidos acusticamente através da água
até as bóias na superfície", complementa. Cobertas de sensores
meteorológicos, elas estarão também equipadas com uma antena GPS
(Sistema de Posicionamento Global), que medirá alterações do
nível do mar.

As informações, a seguir, são passadas para satélites que enviarão,
em tempo real, o aviso de possível formação de tsunami para os
observatórios sismológicos nacionais e regionais. "Evitamos assim,
os alarmes falsos", explica Flüh.

O principal desafio para os cientistas envolvidos no projeto é
construir um sistema que funcione no meio do oceano com mau tempo
e com as dificuldades de estar a seis mil metros de profundidade.

Da Deutsche Welle

1 comentário:

Sofocleto disse...

Esperemos que o sistema ajude a prevenir o terrorismo do Altíssimo.