quarta-feira, abril 12, 2006

Mais uma notícia fundamentada que descredebiliza a
eficácia de produtos farmacológicos

Ultimamente têm sido uma constante a revelação da má
qualidade de determinados fármacos, cujas consequências
chegam mesmo a ser fatais para os doentes que os ingerem
Neste caso do ReNu não é um medicamento que se ingere
mas uma solução óptica que se usa nas lentes de contacto.
Infelizmente o meu filho usa e hoje mesmo o aconselhei a
deixar de usar, dado que o próprio laboratório que o produz
nos EUA, reconheceu que o mesmo pode causar cegueira aos
seus utilizadores.
Continuo a não perceber, uma vez que existem supostamente
nos paises onde são produzidos e comercializados fármacos
uma entidade para controlar a qualidade e eficácia dos
medicamentos, mas como quem está à frente desse entidade
deve ser gente muito séria, tudo quando é produzido em
matéria da farmacopeia tem o seu aval. Curiosamente achei
muito interssante essa coisa que em Portugal dá pelo nome de
Infarmed que, ontem, em reacção a esta notícia referiu para já
não determinar a retirada do mercado (entenda-se farmácias)
do ReNu, até proceder às suas próprias averiguações.
Ora quando o próprio Laboratório que produz esta solução,
concluiu que a mesma pode causar cegueira, este orgão
fiscalizador da qualidade do medicamento em, Portugal,
permite-se duvidar dessa consequência e daí querer ela própria
realizar a sua investigação. Não sei com base em quê nem em
quem porquanto não acredito que a Infarmed vá à procura dos
utilizadores do ReNU e verifique se algum deles está, face ao
seu uso, a ficar invisual. Julgo que andamos neste País a deixar
brincar estes fabricantes de mixórdias com a saúde dos
doentes.

2 comentários:

H. Sousa disse...

Esse ReNu deve ser da família do TaMiFlu.

Sofocleto disse...

Deve ser dos poucos casos em que o fiscalizador é menos papista que o papa.