domingo, janeiro 08, 2006

A fraude eleitoral

Não ocorreram as eleições
e já conhecemos o resultado
pelas várias divulgações
do eleitorado auscultado

O apuramento geral
num universo restrito
dá a vitória afinal
a um candidato esquisito

Que como 1º. Ministro
Nunca soube aproveitar
muito dinheiro imprevisto
de subsídios a esbanjar

Vieram avultadas verbas
da Comunidade Europeia
foram aplicadas em lerdas
mas por gente não plebeia

Enriqueceram alguns
agora seus apoiantes
e nos efeitos comuns
tudo será como dantes

Todos os que menos podem
vão continuar a tinir
pois os outros que colhem
a vida vai-lhes sorrir

A farsa está instalada
neste acto eleitoral
por culpa da rapaziada
da comunicação social

Trazem o Cavaco ao colo
com intuito de o projectar
mas não vai sair incólume
vamos tentar contrariar

Temos pois que nos unir
todos quantos o não apoiam
não nos deixemos dormir
face aquilo que agoiram

4 comentários:

Zecatelhado disse...

És um crente meu irmão e gosto muito de ti por causa disso. Mas não te iludas; Isto não tem cura.
O cancro é grosso e não se cura com paninhos quentes.

Aquele @bração do
Zecatelhado

Fernando B. disse...


"A farsa está instalada
neste acto eleitoral
por culpa da rapaziada
da comunicação social"

Prezado Amigo Raul,

É mesmo isso. Gostei do teu sarcasmo.

Não os vamos deixar em paz, toca a usar a escrita como arma de arremesso em defesa dos nossos valores.

Um Abração,

Pedro disse...

Meu caro, então também é da opinião de que a comunicação social anda com Cavaco Silva ao colo? Por favor...
Bem pelo contrário, os seis candidatos têm tido igual tempo de antena por parte dos jornalistas, o que nem deveria acontecer, a bem da informação condigna e rigorosa...

contradicoes disse...

Caro Pedro, como gosto de fazer afirmações com propriedade, esclareço
que ontem me dei ao trabalho de controlar no telejornal da RTP1 o tempo de antena que foi dedicado aos candidatos, tendo podido concluir exactamente isso.