sexta-feira, janeiro 13, 2006

O processo da Casa Pia tem servido vários
objectivos menos aquele a que se propõe


Seria suposto que, o processo da Casa Pia servisse para
averiguar com exactidão quais os implicados e como
desfecho assistirmos à sua condenação.
Mas pelos vistos nada disso aconteceu nem irá
acontecer. Este Procurador Geral da República, que já
o não deveria ser há bastante tempo, permitiu que este
processo fosse utilizado para satisfazer outros objectivos
marginais ao referido processo que num caso ou noutro
proporcionaram como já o referiu Garcia Pereira o
linchamento político de Ferro Rodrigues. Foi agora
revelado o excessivo número de escutas telefónicas
realizadas a diversas entidades e personalidades, nelas
sendo incluídas até números de telefones confidenciais,
cuja responsabilidade afirma o dito Procurador tem que ser
averiguada. Entretanto ele continua no exercício do cargo.

2 comentários:

Biranta disse...

O que se pode esperar de "averiguações" feitas pelo principal responsável pelos abusos e crimes cometidos?
Tem toda a razão amigo! Ele já devia ter sido demitido, há muito, e continua no cargo, a evidenciar bem as responsabilidades e cumplicidades do próprio PR, que é outro que tal...
Nestas coisas, de facto, o único candidato que diz o que tem de ser dito é, mesmo, Garcia Pereira. Veja-se a atitude de Jerónimo (e do PCP) a defenderem que o PGR deve levar o mandato até ao fim. É o cúmulo da pouca vergonha e da falta de pudor. Estão todos de conluio, contra nós e contra os nossos direitos fundamentais (que não podem estar garantidos sem uma justiça que funcione em condições.
No meu blog existe um artigo acerca de Mário Soares e o livro de Rui Mateus que, se lido com atenção, permite perceber como foi possível chegar a este descalabro na justiça, com que cumplicidades mútuas... Também o célebre caso do Cavaco a fugir aos impostos dá indicações claras de que tudo isto se foi construindo devido às "necessidades" de proteger essa gente...

Zecatelhado disse...

E a Biranta já disse tudo, ponto final parágrafo.

Um @bração do
Zecatelhado